Ford Rimor Korsaro - A Nossa AC - Tópico Geral

Área dedicada a troca de informações sobre mecânica, manutenção e bricolage

Re: Ford Rimor Korsaro - A Nossa AC - Tópico Geral

Mensagempor Lealbino » terça ago 08, 2017 9:42 am

Boas companheiro

Na altura em que andei a adaptar e testar algumas coisas na minha AC um dos pontos na 1ª AC era a cortina do duche que se colava e coloquei pesos de borracha na base da cortina, ajudou bastante! A solução dos imans ainda poderá ser melhor, porque em deslocação ficaria tudo preso. :wink:

Em relação à pressão da agua, na altura para otimizar consumo sem perder a qualidade do duche e torneiras encontrei prelatores específicos que testei, isto foi falado neste tópico:

http://www.campingcarportugal.com/forum ... =51&t=7897

Continuação de bom trabalho! 8)
Avatar do Utilizador
Lealbino
 
Mensagens: 237
Registado: segunda set 16, 2013 11:21 am
Localização: Villa Moita / Setúbal

Re: Ford Rimor Korsaro - A Nossa AC - Tópico Geral

Mensagempor joao rafael santos » terça ago 08, 2017 11:35 am

Bom dia companheiros
Eu já tive uma autocaravana igual a essa e a alteração que fiz para dar mais alguns cavalinhos ao motor foram as seguintes: Tirei a pá de ventoinha e a respetiva embraiagem ( centrifugo) e instalei uma ventoinha elétrica com uma monocontato na falange do termostato, mandei dar um avançozinho na bomba de injeção muito pouco para não começar a fazer fumo, na válvula egr pos uma junta em chapa cega e assim eliminei a válvula egr, no coletor de admissão tirei a borboleta pois ele não faz falta. Com isto tudo devo ter posto pelo menos mais uns 10 cavalinhos ficou impecável, pena foi é que me a roubaram em Milão á 2 anos e ainda não a consegui recuperar. Espero que o ajude em alguma coisa-
Cumps. João Rafael
joao rafael
Avatar do Utilizador
joao rafael santos
 
Mensagens: 79
Registado: segunda mar 08, 2010 10:05 pm
Localização: faro

Re: Ford Rimor Korsaro - A Nossa AC - Tópico Geral

Mensagempor tgferreira » domingo ago 13, 2017 9:41 pm

Boa noite a todos! Tenho várias novidades!

Já regressei da última viagem. A autocaravana está consideravelmente mais potente e com consumos inferiores (consegui 8.8L/100km). Assim sendo não vou fazer qualquer outra alteração para lhe dar mais potência. Agradeço as suas dicas, caro João Santos!

Como já referi noutro tópico, o frigorífico funcionou impecavelmente. Consegui fazer gelo por duas vezes coisa que antes só era possível quando ligado a 220V!

Vou ver se começo a pôr mais fotografias. Vou analisar a questão dos redutores de caudal, companheiro Lealbino (até porque estes me interessam por outros motivos - explico à frente). Quanto à questão da cortina de duche para já está em standby mas dar-lhe peso no fundo é uma boa ideia. A ver vamos com o tempo.

Os banhos, com o boiler estragado (que inclusivé ficou em casa) foram feitos à base de garrafas de litro e meio com uma tampa com alguns furos. Em média cada banho utilizou 4.5L (3 garrafas). Não é uma solução perfeita mas serviu. A água era aquecida no fogão. Tenho intenções de desmontar o boiler para ver se a reparação é possível. Não estou nada contente que depois do trabalho que tive colocar tudo a perder por causa da corrosão. Além disso, um boiler novo é caaaro. Vou ver se é possível desmontar o mesmo e substituir as peças que estejam danificadas (nem que tenha que recorrer a uma serralharia para o fazer).

Durante as férias a autocaravana não desenvolveu problemas de maior - no ano passado fiquei com um escape roto e a meio das mesmas a bomba da água gripou - foi bem pior): as únicas coisas que deram problemas foram uma porta de armário que se descolou (nada de grave) e a bateria da cabine que não estava a carregar com o motor (mas que só notei no último dia pelo que nem sequer me chateou muito). Ambas as coisas são de fácil resolução, acredito.

Durante estas férias cheguei a uma conclusão maluca que gostaria de ver implementada. Passo a explicar: o nosso depósito de águas limpas tem 120L e o de águas cinzentas tem 100L - o que é chato porque às vezes enchemos o segundo sem querer e nos apercebermos e ele pinga para o chão quando cheio. Ambos os depósitos têm uma estrutura física constante: não são flexíveis. Um está dentro da cabine, debaixo dos bancos e o outro no exterior do carro, debaixo do chassis. Ora, em teoria, quando um depósito está cheio, o outro está vazio e vice-versa. Isto quer dizer que a qualquer momento posso dizer que existe um volume equivalente a 100L de água não aproveitado na autocaravana! Como é que isto se resolve? Porque não construir um depósito exterior que tem dois interiores flexíveis (de uma material como uma câmara de ar). Quando um esvazia o outro enche e vice-versa. Seria interessante que os fabricantes de AC's explorassem esta ideia, na minha opinião.

Finalmente, cheguei a outra conclusão ainda mais maluca que estou seriamente a ponderar: algures num futuro próximo irei viver com a minha namorada. Possivelmente e nos primeiros tempos será necessário arrendar uma casa que no final do período de arrendamento, não é nossa. No final desse período segue-se provavelmente a compra de casa que não é uma compra de pequeno valor. Em paralelo, gostaríamos de ter uma autocaravana (mas que seguindo o percurso normal e sensato, só poderia ser adquirida depois da compra e pagamento da casa). Então porque não morar numa autocaravana por um período temporário de tempo, substituíndo o arrendamento da casa que no final do mesmo é nossa? Seria necessário recorrer a crédito embora por um baixo valor (até 20 mil euros, por exemplo) mas que com disciplina e as poupanças possíveis vivendo neste meio seria facilmente pago em muito pouco tempo.

Em que poupamos? O espaço é mais pequeno logo há mais atenção a gastos desnecessários (compras, por exemplo); o desperdício (de comida) é muito menor; aquecimento no inverno? Como o espaço é mais pequeno, é bem mais barato; existe uma enorme flexibilidade quando for para sair num fim-de-semana de autocaravana (já está tudo pronto); electricidade é quase toda retirada do sol (se existirem paineis solares); é gasta muito menos água (e gás), etc. É claro que existem desvantagens das quais se destacam o espaço pequeno, a não existência de máquina de lavar e a baixa autonomia mas já estive a pensar em várias questões:

Espaço: mesmo em situação de mudança para uma casa, é normal que algumas coisas fiquem em casa dos pais. Não estamos a falar de volumes enormes mas do normal que toda a gente deixa temporariamente. Não sei se isto seria bem um problema. Além disso, poderíamos sempre utilizar a casa dos nossos pais para outras questões (no meu caso, a garagem para arranjos e bricolages - no entanto como sou eu que faço os arranjos e manutenção aos carros dos meus pais, é perfeitamente natural);

Lavagem de roupas: algo que pode ser combinado com os pais (utilização da máquina deles, a troco de uma renda, por exemplo);

Autonomia: repete-se o ponto anterior, a troco de uma renda. Electricidade parece-me que se tira do sol; água, se estacionados num sítio relativamente fixo, liga-se uma mangueira com um temporizador que ligue 1 vez por dia durante 2 ou 3 minutos e o depósito está sempre cheio; sanita seria sensato passar para uma de compostagem e águas semi-sujas teriam que ser despejadas a balde num esgoto (este é o ponto menos brilhante que encontro).

Sinceramente, ao pensar mais na ideia, cada vez mais me parece ser uma escolha bastante acertada. É um pouco amalucada mas muito facilmente executável e poderia ser uma experiência muito boa desde que seja tudo bem planeado. O que acham?

Cumprimentos,
Tiago
Rimor Korsaro 1994
tgferreira
 
Mensagens: 35
Registado: sexta ago 28, 2015 1:35 am
Localização: Coimbra

Anterior

Voltar para Mecânica, Manutenção e Bricolage

Quem está ligado:

Utilizadores a ver este Fórum: Nenhum utilizador registado e 2 visitantes